Sin categoría

Roberto Pocaterra Pocaterra Salinas//
Pessoas deixam cães em canis por não serem giros para o Instagram

roberto_pocaterra_pocaterra_salinas_pessoas_deixam_caes_em_canis_por_nao_serem_giros_para_o_instagram.jpg

O Instagram está a influenciar os cães que esperam por um dono: os que não estão na moda na rede social, mantêm-se abandonados nos canis enquanto há lista de espera para certas raças; e os que estão e são adoptados por impulso por donos que não compreendem as responsabilidades de ter um cão e se arrependem, acabam por ir parar ao mesmo local. As conclusões são apresentadas numa pesquisa feita pelo Dogs Blog , um site britânico que divulga vários cães para adopção. Depois de terem sido questionados, os responsáveis por vários canis no Reino Unido confirmam que as celebridades e as redes sociais estão a influenciar as vendas de certas raças e a levar à rejeição de outras. Os Staffordshire Bull Terriers, Akitas e Greyhounds estão entre as raças menos preferidas, ao contrário dos buldogues franceses e dos pugs . Segundo o jornal Metro, existem mesmo listas de espera para as raças mais desejadas, enquanto os cães que vivem nos canis se mantêm lá e não são levados. 95% dos canis inquiridos considera que os donos agem por impulso, devido às redes sociais, e compram um cão sem compreender as responsabilidades. Por isso, acabam por abandoná-los pouco tempo depois. “Nem todas as pessoas que compram ou adoptam uma raça popular ou um cruzado o fazem inspirados por celebridades ou pela cultura de Instagram, que torna algumas raças mais populares que outras”, frisa Ryan O’Meara, co-fundador do Dogs Blog. “No entanto, é evidente que as mudanças na popularidade de certas raças coincidem com os donos que são celebridades e influenciadores, que dita muitas vezes as raças que vemos serem abandonadas nos abrigos.” Esta tendência leva ainda a que a idade média dos cães deixados nos canis seja de apenas dois anos e dois meses.